Curso para fotógrafo profissional – Muito cuidado ao escolher!

Escrito na categoria "Cursos de fotografia" por André M. Coelho.

Para aqueles que procuram um curso de fotografia local ou uma oficina para melhorar suas habilidades fotográficas, aqui estão algumas perguntas e questões para pensar antes de assumir um compromisso financeiro com um curso.

Antes de pegar um programa ou iniciar a sua busca na internet, faça uma lista do que você quer aprender. Se você está apenas começando, é ok se a lista é curta e você não tem certeza do que quer. Também não se preocupe sobre a obtenção de termos e conceitos corretos. A lista pode parecer mais ou menos com isso:

Também é importante saber quanto tempo você tem para se comprometer. Oficinas são geralmente mais curtas em comprimento; 1-3 dias, em média. Um curso normalmente pode durar por várias semanas. Para aqueles que precisarão de viajar para fazer os cursos, os custos com estadia devem ser inclusos também.

As possibilidades para a procura são muitas. Você deve começar pela internet. Pesquise por workshop/cursos de Fotografia. Pense quanto você quer investir neste novo aprendizado. Não se esqueça de verificar com fotógrafos locais alguns cursos que eles sugerem para iniciantes. Faculdades de jornalismo, publicidade e propaganda, marketing, cinema e teatro normalmente tem profissionais na área que pode te dar indicações boas e baratas.

Prática para iniciantes

Para um iniciante, é melhor começar com oficinas de fotografia que são mais curtos e mais baratos e te darão contatos e o aprendizado inicial para se dedicar a arte da fotografia. Lembre-se também que você tem que ter sua própria câmera, tanto para cursos quanto para workshops. (Foto: ocorreogalego.es)

Um cuidado que você deve ter é para o caso de ser seu primeiro curso: não gaste muito, invista apenas um valor justo. Se você gastar demais, você pode ficar decepcionado com o aprendizado, ainda mais que será a primeira vez que você estará formalmente aprendendo a arte da fotografia. Não pense só porque o curso tem vários certificados oficiais de empresas de fotografia, preocupe-se com a praticidade dele para sua vida. E não foque ainda em cursos que trabalhem com pós produção de fotos, focados em Photoshop. O legal é aprender o bruto pra depois ir lapidando.

Encontre um programa, ou uma listagem do que o curso ou oficina vai oferecer. Muitos irão listar o nível (iniciante, intermediário, avançado) como um meio de ajuda-lo a escolher. Parte do conteúdo de um nível básico pode ser repetitivo para você, mas é melhor ter certeza de que o básico está bem apreendido antes de passar para tópicos mais complexos.

Por último, dê uma olhada em fotos tiradas pelos instrutores, se você pode encontrá-las. É importante saber se eles podem produzir imagens bem expostas com o qual você consiga se conectar. Bem como as fotos, verifique se o instrutor tem quaisquer críticas do curso de estudantes anteriores. Eles serão a sua melhor aposta para saber se o instrutor é um grande fotógrafo, mas talvez não o melhor comunicador, ou o contrário. Idealmente, um instrutor irá combinar bem os aspectos técnicos e artísticos de trabalho de classe, também possuindo a capacidade de se comunicar de uma forma de entregar esse conteúdo de uma maneira convincente.

Depois disso, acesse fóruns online para compartilhar suas experiências e aprender um pouco mais. Vocês acessam fóruns? Já fizeram algum curso? Quais vocês recomendam? Deixem suas opções nos comentários!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

André tem uma família entusiasta de fotografia desde a década de 70. Já passaram por diversas máquinas e tecnologias, até máquinas de slide quando foram lançadas no Brasil. Quando se mudou para Belo Horizonte, em 2009, André conheceu e atuou com amigos no audiovisual. Conheceu e morou com um produtor e cineasta em uma república, com quem aprendeu muito sobre câmeras. Hoje, André continua estudando sobre câmeras e compartilhando seus conhecimentos no blog Super Câmera.

Deixe um comentário