Você vê as fotos deles todos os dias nas notícias. Os fotojornalistas nos trazem as imagens visuais de uma história que respalda as palavras de um escritor. Eles estão lá para cobrir eventos importantes, mostrar os rostos por trás das manchetes e muitas vezes nos obrigam a sentir que somos parte da cena.

O que é fotojornalismo?

O fotojornalismo começou a tomar forma quando os fotógrafos podiam facilmente transportar câmeras para zonas de guerra. Pela primeira vez, cidadãos comuns puderam ver o impacto dos combates ali mesmo em seus jornais. Foi um momento crucial na fotografia e tornou-se cada vez mais real entre a Guerra Civil e a Segunda Guerra Mundial.

No entanto, o fotojornalismo não é apenas sobre guerras ou fotógrafos que trabalham para um jornal local. É muito mais que isso. O fotojornalismo conta uma história e muitas vezes faz isso em uma única fotografia. Pense nas fotos da Era da Depressão, de países que passam por dramas humanitários, ou mesmo notícias do dia a dia. Elas evocam um sentimento, seja espanto, empatia, tristeza ou alegria.

Essa é a marca do fotojornalismo; capturar esse único momento no tempo e dar aos espectadores a sensação de que fazem parte dele.

A história com fotos jornalisticas

Simplificando, o fotojornalismo é sobre a captura de verbos. Isso não significa simplesmente tirar uma foto de ação. Comunicar o verbo é muito mais que isso. Histórias são capturadas em fatias, enquanto o fotojornalismo se esforça para transmitir o que está acontecendo em um único tiro.

Embora seja ótimo quando acontece, o fotojornalismo não é sobre a melhor composição, ou os melhores detalhes técnicos, ou um assunto bonito. O fotojornalismo é sobre mostrar ao mundo uma história de algo que realmente aconteceu. “Testemunha” é uma frase que vem à mente em relação ao fotojornalismo.

Definição de fotojornalismo

O fotojornalismo é um ramo da fotografia que usa as imagens para divulgar as notícias e reportar os fatos sob a ótica das imagens. (Foto: Think Tank)

O curso de fotojornalismo

O fotojornalismo permite que o mundo veja através dos olhos do fotógrafo por um momento. Quando o fotojornalismo é feito corretamente, aquele momento transmite volumes de tempo. Transmitir a história completa é parte do retrato ambiental em que o cenário nos diz tanto sobre o assunto quanto sobre o assunto em si.

A emoção é muitas vezes crua no fotojornalismo. O fotógrafo não está dirigindo a cena como um fotógrafo de retrato ou comercial faria. Em vez disso, os melhores deles se misturam ao fundo e se tornam uma figura de sombra (ao contrário dos paparazzi). Eles estão lá para observar e capturar, não se tornar a história ou interrompê-la.

É essa atitude, a abordagem “eu sou um mero observador”, que permite que os sujeitos do jornalista não reajam à câmera, mas sejam eles mesmos. O fotojornalista tem uma atitude diferente de outros fotógrafos e é necessário capturar essas fotos memoráveis. Com muita frequência, uma única foto pode se tornar uma chamada à ação para milhões de pessoas que a veem.

Em um curso de fotojornalismo, você deve esperar aprender posicionamento para fotos, composição, aspectos sociais do fotojornalismo e o mais importante, a ética desse tipo de carreira.

Ética no fotojornalismo

Outra parte vitalmente importante do fotojornalismo é a precisão. Isso significa que o que está no quadro é o que aconteceu. O fotojornalista é eticamente obrigado a não mudar a história (embora muitos não atinjam esse ideal).

As linhas de energia não devem ser clonadas. Mais fumaça não deve ser adicionada a uma cena de incêndio. O que foi capturado é como deveria ser. Infelizmente, a era da fotografia digital tornou mais fácil do que nunca manipular a realidade.

A imagem deve ser uma janela para o evento. No máximo, ilumine as sombras com um toque para ver os rostos ou aponte um pouco a imagem para clareza, mas não altere a essência do que você captura na foto. Se você fizer isso, você muda a história.

O que acham do fotojornalismo? Como acham que devem ir para esta carreira?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)