A iluminação zenital é um tipo de iluminação que pode ser usada em fotografias para obter um resultado natural e com um grande impacto visual. Mas o que é a iluminação zenital e como adicionar ela para sua rotina de fotografia? Vamos explicar em detalhes a iluminação zenital e quais são seus efeitos para suas fotografias.

Introdução à iluminação zenital

Uma das escolhas estilísticas que os fotógrafos tem é como representar a distribuição da luz na superfície do modelo. A representação mais realista não é necessariamente a mais desejável. Ao contrário, digamos, da arte bidimensional, como em uma tela de pintura ou projetada como uma imagem de televisão, onde a iluminação é fixada dentro de seu cenário, a luz sobre um modelo ao tirar uma foto é livre para ser manipulada no espaço e vista de todos os ângulos. Uma situação de luz realista, com todos os elementos de luz e sombra cuidadosamente representados, pareceria correta apenas a partir de uma posição de visualização específica, obtendo um resultado específico que pode não ser o desejado na foto.

Uma possível solução para essa limitação é a da iluminação zenital e este artigo tentará explicar a mecânica desse conceito. Embora deva ser entendido que a pintura em miniatura é uma atividade criativa não limitada por regras estritas, o conhecimento de como a luz se comporta no mundo real pode ajudar o iniciante e até mesmo o mais experiente nesse processo.

O que é detalhamento da iluminação zenital?

A iluminação zenital é a representação da luz em um modelo a partir de uma posição suspensa. Isto é, na minha opinião, tão detalhado quanto qualquer definição do conceito pode ser. Normalmente, a fonte de luz é considerada como um anel ou cone de luz que cai uniformemente de todas as direções, mas também pode ser uma fonte pontual na frente do modelo.

Você pode ler mais definições por aí, mas é mais provável que sejam exemplos específicos do conceito geral. Para aplicar a iluminação zenital aos modelos, devemos então ter uma interpretação precisa do conceito com uma compreensão de como a aparência da luz varia em relação à superfície do modelo. Esse entendimento pode ser desenvolvido considerando os fatores que determinam a quantidade de luz que chega à superfície.

Efeito da distância da fonte de luz na foto

A intensidade da luz reduz quanto mais um objeto é da fonte de luz e pode ser descrito matematicamente como uma lei do inverso do quadrado.

Como podemos ver no gráfico, a diminuição inicial da intensidade é muito rápida à medida que nos afastamos da fonte de luz, mas essa mudança se torna menos significativa além de uma certa distância relativa.

A escala da distância é determinada pelo tamanho da fonte de luz. Uma pequena fonte de luz, como uma lanterna de bolso, produzirá uma rápida diminuição de intensidade. Considerando que, para uma grande fonte de luz, a distância relativa será muito maior.

Efeito da inclinação da fonte de luz na foto

Com uma fonte de luz direcionada, a quantidade de luz que chega a uma superfície varia em relação ao ângulo de inclinação entre a superfície e os raios de luz. Essa variação pode ser descrita por uma lei cosseno.

A intensidade máxima ocorre quando uma superfície é perpendicular à fonte de luz e diminui à medida que a superfície gira para longe da luz. A luminosidade é reduzida a metade a uma rotação aproximada de 60 graus e nenhuma luz atinge uma superfície paralela à fonte de luz.

Iluminação zenital

A iluminação zenital proporciona um efeito de luz natural que tem ótimos resultados em fotos, e pode ajudar em melhores resultados para estúdios. (Foto: indrastudios.com)

Aplicações para iluminação zenital

Com esse conhecimento da variação de luz, podemos agora examinar situações específicas de luz zenital.

Luz do sol

A situação de luz mais comum é estar do lado de fora iluminado pelo sol. A natureza da fonte de luz significa que podemos desconsiderar o efeito da distância e, portanto, apenas a inclinação será considerada. A direção dos raios de luz é consistente e, para o propósito deste exemplo, deve ser ajustado para 45 graus.

Aplicando a regra do cosseno, as partes que receberão a maior quantidade de luz serão aquelas voltadas para a luz, que para um modelo humano pode ser a ponte do nariz, a frente dos ombros ou dependendo da postura, dos braços ou das coxas. Devemos observar que a parte superior da cabeça e dos ombros não são as partes mais leves, estando em um ângulo mais raso.

Superfícies planas perpendiculares ao chão não mostrarão nenhuma mudança na luz, já que o ângulo de incidência é igual em todas as partes.

As superfícies afastadas da luz serão mais escuras no geral, mas não completamente pretas, desprovidas de qualquer luz, já que isso não seria muito interessante e haveria luz refletida suficiente do solo para fornecer alguma iluminação dessas partes.

Luz da lua

Para sugerir o luar, uma versão modificada da luz solar pode ser usada. A construção é artificial e não uma verdadeira recriação do mundo real, mas para os propósitos da atmosfera nos servirá bem.

Aqui a direção do raio de luz varia com a distância do topo do modelo até o fundo. Não é necessário tentar qualquer cálculo, mas sim criar um gradiente separado e incorporá-lo ao nosso processo mental. Podemos, então, substituir os ângulos variáveis ​​por uma direção constante da luz, como no exemplo anterior.

Este tipo de iluminação zenital dá uma aparência muito atraente, pois o rosto, o ponto focal do modelo, recebe naturalmente a maior parte da luz.

Iluminação artificial

Com a iluminação artificial, tanto o ângulo de incidência, como descrito pelo exemplo do luar, quanto a distância da fonte de luz precisam ser considerados. A quantidade de luz que atinge o topo do modelo será maior do que a inferior, independentemente do ângulo.

Novamente, não precisamos tentar calcular a intensidade da luz em cada ponto do modelo. Em vez disso, podemos simplesmente exagerar o gradiente de valor do exemplo anterior. E é nesse tipo de iluminação que o fotógrafo poderá trabalhar para obter diferentes resultados.

Este tipo de iluminação pode ser muito dramático com a luz variando de um ponto focal brilhante a sombras escuras.

Há muitas outras maneiras de interpretar a luz zenital, mas espero que este artigo seja de alguma ajuda em sua fotografia.

Você já usa ou usou a iluminação zenital nas suas fotos? Como fez o uso?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)